fbpx

Os estilos arquitetônicos para interiores são diversos e muitas vezes nos fazem ficar confusos sobre qual escolha seria o mais adequada para nossa casa. Vamos te explicar direitinho com é o estilo clássico para você não errar nunca mais!

Geralmente, os profissionais de arquitetura estão mais acostumados a lidar com a diversidade desses estilos, contudo, mesmo para quem gosta de decoração, pode ser uma tarefa árdua conhecer as diferenças entre eles. 

A importância de conhecer e definir os estilos está ligado a saber expressar nossos desejos, seja para solicitar um projeto ou simplesmente numa decoração DIY .

Mas, será que sabemos pedir realmente o que desejamos? Saber direcionar nosso pedido ao que realmente sentimos implica em receber o que estamos esperando, sem decepções ou frustrações. Com isso, os estilos arquitetônicos são instrumentos que nos ajudam na hora de compor um espaço em uma atmosfera que realmente transforma os ambientes em sensações e experiências únicas, tornando – os mais harmônicos. 

Por isso vamos te ajudar a entender mais sobre os diversos estilos que irão auxiliá-los na decoração do seu lar. Começaremos uma série de postagens para abordar os diferentes tipos de estilos arquitetônicos fornecendo para você as diferenças e detalhes de cada um de deles. 

Tipos de estilo de arquitetura de interiores

Os estilos de arquitetura para interiores mais comuns são: 

  • Clássico;
  • Moderno;
  • Minimalista ;
  • Rústico;
  • Industrial;
  • Provençal;
  • Retrô.

O que é o estilo Clássico?

A principal característica do estilo Clássico são os elementos e detalhes que remetem à antiguidade, origem desse estilo. Os ambientes em geral são uma verdadeira imersão ao passado, valorizando detalhes que reportam elementos greco-romanos vindos da Europa ou barroco e rococó característicos no Brasil. 

Tipos de ambientes internos no estilo Clássico

O tipo mais comum do estilo Clássico na atualidade é conhecida como Clássico Contemporâneo. Mas podemos ter variações como o Purista e o Romântico.

O Clássico Purista

estilo classico

Esta sala define bem o que é o estilo Clássico Purista: o pé direito alto, as sancas detalhadas de gesso no teto, a cortina romântica, o lustre clássico da antiguidade, as colunas greco-romanas, o excesso de elementos decorativos nas paredes e teto, o tapete e os objetos.

Estilo Clássico Romântico

estilo classico

Esta variação do estilo Clássico se caracteriza na atmosfera romântica que se propõem, geralmente alcançado pelas cores pastéis e claras em todo ambiente, sem desprezar os elementos clássicos como os lustres e os móveis. 

Existe confusão entre os estilos Clássico Romântico e Provençal, cabe aqui uma breve explicação das diferenças entre eles. O estilo Provençal se origina de uma região da Provença e a sutileza das diferenças estão na utilização de elementos campestres (flores nos estofados e cortinas), às vezes revestimentos ou mobiliário compostos de madeiras rústicas pintadas. Essas características não acontecem no estilo Clássico. São diferenças que podem parecer imperceptíveis quando não sabemos identificar, mas agora você já sabe!

Estilo Clássico Contemporâneo

estilo classico
estilo classico

O estilo Clássico Contemporâneo é uma releitura atual do estilo, reparem que os elementos aparecem de maneira mais sutil nos ambientes. Lustres e móveis combinam com ambiente mais clean, onde não há excesso de informação nos elementos. Nas paredes, os elementos aparecem mais limpos.

Mobiliário no estilo clássico

As características de um mobiliário Clássico são bem marcantes e de fácil identificação. Podemos perceber que esses móveis são pesados, geralmente constituídos de madeiras maciças escuras, pois se utilizava muito o jacarandá e o carvalho. Além disso, a marcenaria leva elementos entalhados decorativos ou ornamentação que remete à antiguidade greco-romana. Muito comum também a utilização do mármore, principalmente para tampos das mesas com bases em madeiras.

Esta cristaleira tem características clássicas bem marcantes como a entalha decorativa em forma de pilares que remetem ao romanos

Esta cadeira é conhecida como Luiz XV também é um clássico do mobiliário. Uma das características do estofado no mobiliário Clássico é a presença do capitonê e botonê, na qual consiste na costura com cordões ou fios grossos, que formam saliências quadradas ou retangulares pontuados com essa depressão mais afundada, como visto no encontro da foto. A diferença do botonê é a presença do botão para acabamento dessa depressão. Reparem ainda na madeira maciça entalhada com ornamentos e formas em curvas.

Elementos decorativos no estilo clássico

Predominam no estilo Clássico os objetos como lustres, candelabros, abajur de seda, espelhos com molduras ornamentadas e estatuetas ou bustos decorativos. Como elementos decorativos predominam boiseries com detalhes decorativos e cortinas, sancas ornamentadas. Predomínio de cores como dourado nos objetos e mobiliário, veludos escuros como vinho nas cortinas e nas paredes tons de verde, azul-marinho, marrom, bege. As cores claras nas paredes são utilizadas mais comumente nas releituras contemporâneas do estilo.

Vejam alguns exemplos de elementos decorativos que reforçam as características mencionadas.

Lustre clássico com releitura de candelabros e cristais na composição.

O boiserie é essa moldura na parede e começou a ser usado na decoração no século XVIII compondo o estilo clássico, no qual se apresentava cheio de detalhes e ornamentos como mostrado nesta foto. Contudo a releitura mais usada atualmente são versões mais retas e clean. Você pode ver mais sobre boiserie nesta interessante matéria.

Espelho com moldura ornamentada clássica e olha o dourado como cor marcante do estilo.

Dicas ao adotar o estilo clássico

Ao aplicar esse tipo de estilo é importante o cuidado com o equilíbrio nas escolhas, isso porque é marcante do estilo os tons escuros e os ornamentos em excesso. A não ser que você queira um ambiente totalmente fiel ao século passado, recomendamos seguir o caminho do estilo Clássico Contemporâneo. Equilibre as cores claras com detalhes escuros, pense numa paleta de cores equilibradas. Se quiserem vejam mais no nosso post sobre pintura de paredes clicando aqui. Outra dica é a escolha dos objetos, tente destacar um ou dois objetos de estilo Clássico e não alocar vários próximos um do outro. O destaque fará com que o ambiente se torne luxuoso e elegante, como se o objeto fosse uma obra de arte.

O estilo Clássico é muito utilizado na arquitetura de interiores como instrumento de requinte, mas só é conseguido quando seguimos essas regras de ouro. Separamos dois ambientes para mostrar  como podemos ter ambientes lindos com essas dicas.

Os elementos clássicos decorativos como espelho com moldura dourada sobre parede com boiserie ornamentado ganharam destaque com o equilíbrio das cores claras, tornando o ambiente luxuoso e elegante.

Este ambiente mostra como o estilo clássico pode compor um ambiente super bonito e equilibrado. As cores claras da parede e cortina destacaram as cores escuras do piso e das cadeiras. As releituras contemporâneas dos móveis clássicos forma valorizados ao serem colocados em diferentes planos.

Por fim leitores destacamos que em muitos locais de pesquisa encontramos muitos equívocos em relação ao estilo Clássico, principalmente confusão com estilo moderno. 

Esperamos que este post tenha esclarecido com detalhes as principais características do estilo, como identificá-lo e como melhor compor ambientes com essas características. 

Também explicamos o estilo Moderno, clique aqui para ver!

Caso tenham dúvidas, podem escrever nos comentários ou nos contactar, pois teremos prazer em respondê-los!

guia do piso vinilico

Guia do piso vinílico

Tire todas as suas dúvidas sobre pisos vinílicos!

Acessar gratuitamente

Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades da nossa Loja e Blog.


    Thais Yamamoto

    Arquiteta, formada pela UFRJ, com experiência na área comercial e residencial. Pós-graduada pela PUC-RJ em Engenharia de Segurança do Trabalho. Pós-graduada pela UCP em Gestão do Meio Ambiente e Sustentabilidade. Mestre pela Universidade Santa Úrsula em Qualidade do Ambiente Construído. Mestranda pela FGV em História em Bens Culturais.

    0 comentário

    Deixe um comentário

    Avatar placeholder

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Open chat
    Precisa de ajuda?